quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

O que há em mim?



O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!
Florbela Espanca

9 comentários:

A garota do copo d'gua disse...

querida gê, amei seus comentarios, pois como você mesma disse conforta saber que não sou a unica alma atormentada... hehehe

quanto ao seu texto que você diz estr criando coragem pra postar, poste-o! se liberte... ou melhor, permita-se! não é mesmo?!
;)

adorei a ideia no café, ainda mais a das risadas... quem sabe né?

se cuide flor... menina com uma flor!

Amadora disse...

Amooo esse poema de Florbela!!!!
Tenho sempre essa saudade de sei lá o quê..
beijos, Gê

meus instantes e momentos disse...

gosto do teu blog, gosto de voltar aqui.
maurizio

disse...

Pois é, meninas... agora talvez entendam o nome do outro blog: haja hoje para tanto ontem, né?

Maurizio... obrigada! Sempre sempre bem-vindo! Já está convidado pra visitar o outro também:
http://hajahojeparatantoontem.blogspot.com

bjks em todos!

Naty Abacaty! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Naty Abacaty! disse...

Saudades de tanto que nem dá pra saber. Linda autoria de Florbela! Sucesso pra você Gê!

Abraços.

disse...

Naty! Bom te ver por aqui também!
Bem-vinda! Florbela é uma de minhas prediletas!
Sucesso pra nós, né?
bjk

infinito quase particular disse...

Nossa! Essa frase traduz tudo o quê tenho passado...

Sensatus disse...

ESSA SAUDADE DEVE ATORMENTAR MUITA GENTE...SEMPRE A IMPRESSÃO DE QUE PERDEMOS ALGO E QUE HPÁ MOTIVO PARA SENTIR SAUDADE....
LINDO...